Sem saber quem assume vaga do Dep Ricardo Mota, o imbróglio persiste no legislativo norte-rio-grandense

Com o afastamento da Assembleia Legislativa do deputado Ricardo Motta (PSB), investigado na “Operação Candeeiro” e na “Dama de Espadas”, o ex-vereador e suplente da mesma coligação que elegeu Motta Adão Eridan (PR) seria o sucessor interino e natural do parlamentar.

A situação, que deveria ser resolvida sem delongas, se mostra mais problemática para Eridan do que previsto, contudo, pois a Assembleia até o momento não o convocou para assumir o mandato do qual Motta foi afastado. Para cobrar a posse, Adão procurou a Justiça.

Há 35 dias, a defesa do suplente impetrou no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) um mandado de segurança com pedido de medida liminar. Adão Eridan, porém, segue sem conhecer a resolução do seu caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *